Voltar    
  A LUDICIDADE NAS AULAS DE EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL

Walkyria Aparecida Barbosa Leite Acquati - Colégio Uirapuru

Objetivo Geral

Dar vida ao ambiente escolar em geral.
Favorecer a socialização dos alunos.

Objetivo Específico

Estimular o desenvolvimento psicomotor através da motricidade e ao domínio motor cognitivo e sócio-afetivo.
Ampliação dos conhecimentos através do movimento resgatando a nossa cultura popular, com as cantigas, brincadeiras de roda, dança e jogos.

Justificativa

Formar o indivíduo físico, mental e espiritualmente, assegurando o desenvolvimento funcional da criança, auxiliando na expansão e equilíbrio de sua afetividade através da interação com o ambiente e principalmente despertar a criatividade.

Ludicidade

A criança aprende brincando, é necessário que o ensinante (professor) esteja alerta, para não cair no cotidiano repetitivo com atividades onde a criança só copia, enquanto deveria estar construindo (NOFFS, 1995)
Na Educação Física a brincadeira, tem por objetivos:
Desenvolver a capacidade lúdica,
Propiciar a construção e a interligação de conceitos na aquisição do conhecimento,
Facilitar ação, reflexão, ação após brincar,
Utilizar o seu próprio corpo como recurso para aprender e
Propiciar a vivência e elaboração de diferentes papéis.

Estágios do desenvolvimento infantil na ludicidade
Sensório-motor

Crianças até 02 anos:
Ações repetidas
Tirar e colocar
Montar e encaixar

Simbólico

Crianças de 02 a 04 anos:
Faz de conta
Massa de modelar
Carros
Casinhas

Intuitivo

Crianças de 04 a 07 anos:
Compreensão de regras,
Jogos simples,
Estimular a leitura e escrita,
Bola,
Bonecas,
Bicicleta.

Operatório Concreto

Crianças de 07 a 12 anos:
Aquisição de estruturas lógicas de classe,
Ordem e número,
Idade das coleções de álbuns de figurinhas,
Jogos de raciocínio,
Frescobol.


PROJETO 1º TRIMESTRE DE 2005 DA EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL DO COLÉGIO UIRAPURU
“A EDUCAÇÃO FÍSICA INFANTIL NO SÍTIO DO PICA PAU AMARELO”

Nesse trimestre as aulas de Educação Física Infantil serão ministradas no fictício Sítio do Pica Pau Amarelo dos quais estarei trabalhando todos os aspectos como: estruturação espacial, orientação temporal, manipulação, equilíbrio, locomoção, discriminação auditiva, visual, identificação, comparação, transferência, classificação, conhecimentos cognitivos, sensórios motores e afetivos, respeito a si e ao outro, respeito às regras, espírito de equipe, responsabilidades, organização, participação, cooperação, autoconfiança, esforço para superar-se, honestidade e principalmente o conhecimento de si e dos outros de acordo com os personagens como Emília, Visconde de Sabugoza, Narizinho, D. Benta, Pedrinho, Tia Anastácia, Saci-Pererê, Cuca, Tio Barnabé, Quindim, Conselheiro e Rabicó.
Busquei em cada personagem suas características e associei as habilidades motoras essenciais ao desenvolvimento motor com os seguintes fundamentos como: movimentos rudimentares 01 a 02 anos, movimentos fundamentais de 02 a 06 anos que são muito importantes nessas faixas etárias de 02 a 06 anos do Mini - maternal até o Pré.
A Boneca Emília
Investimento afetivo,
Imitação e personificação da vida cotidiana,
Aconhecimento do corpo humano,
Esquema corporal,
Coordenação motora e criatividade.
O Carro do Pedrinho
Coordenação de movimentos amplos como puxar e empurrar,
Coordenação viso motora (encaixar),
Discriminação de formas,
Orientação espacial,
Percepção auditiva,
Controle de força muscular (pressionar)
A Matemática do Visconde de Sabugoza
Blocos de construção
Atenção, concentração
Movimentos amplos e finos
Viso-motor
Equilíbrio
Proporção
Simetria
Tamanho
Forma
Cor
Espaço
Conceitos matemáticos maior, menor, em cima em baixo, ao lado
Satisfação de inventar, construir, desmontar e transformar.

CONCLUSÃO

Busquei através da Literatura de Monteiro Lobato novas formas de levar a Educação Física aos meus alunos para trabalharem o seu corpo favorecendo-os em seu desenvolvimento nos vínculos afetivos e sociais positivos, condição única para que possamos viver em grupo, estando assim diante do principal, senão único, instrumento de educação para a vida. O grande trunfo das atividades lúdicas é o fato de elas estarem centradas na emoção e no prazer, mesmo quando o jogo pode trazer alguma angústia ou sofrimento. Nesses casos, quando a criança exprime emoções consideradas negativas, o jogo funciona como uma “catarsis”, uma limpeza da alma, que dá lugar para que outras emoções mais positivas se instalem. Diante dos personagens e suas atividades lúdicas as crianças demonstraram alegria, curiosidade, satisfação e compreensão diante das regras dos jogos.

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA

BORGES, C.J., Educação Física para a Pré-Escola, Rio de Janeiro, Sprint, 1987

CASTRO, ªD., Piaget e a Didática, São Paulo, Saraiva, 1974.

MATTOS & NEIRA – A Educação Física de Corpo Inteiro, Phorte Editora, 2002.

CONCEIÇÃO, R.B., Ginástica Escolar, Editora Sprint, 2001.


ANEXOS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
Voltar