Voltar    
  PORTFÓLIO: UM FORTE INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Bianca Barrochelo - Instituto Superior de Educação Uirapuru(ISEU)-Sorocaba

Portfólio é um dos instrumentos de avaliação condizentes com a avaliação formativa, é um instrumento que compreende a compilação dos trabalhos realizados pelo estudante, durante um curso ou uma disciplina.Inclui entre outros, registros de visitas, resumo ou fichamento de textos, projetos e relatórios de pesquisa e inclui principalmete ensaios auto-reflexivos que, permitem aos alunos a discussão de como a experiência, no curso ou na disciplina, mudou sua vida, pode acompanhar e avaliar o processo de ensino e aprendizagem, registrando a organização dos saberes e demonstrando todo um processo de construção de pensamento.
O portfólio, segundo Gardner(1994), é um instrumento de documentação que surgiu no campo da arte e arquitetos, desenhistas, artistas costumam recolher, selecionar e ordenar amostras de sua trajetória profissional, de modo que diferentes pessoas tenham a possibilidade de apreciar os marcos mais significativos de seu trabalho, sua trajetória profissional, ao mesmo tempo em que podem perceber o trabalho de maneira global.É considerado uma testemunha da ação pedagógica, o registro de um trabalho que ocorreu, a memória de uma mesma proposta desenvolvida em diferentes momentos.
Esse processo avaliativo indica a trajetória de aprendizagem e uma nova forma de avaliar o desenvolvimento do conhecimento, conforme o tempo revela os diferentes aspectos do crescimento e do desenvolvimento de cada criança.
Para Hernández(2000):p.150, é possível definir um portfólio como um continente de diferentes tipos de documentos (anotações pessoais, experiência de aula, trabalhos pontuais, controles de aprendizagem, conexões com outros temas, fora da escola, representações visuais, etc.) que proporciona evidências de conhecimentos que foram sendo construídas, as estratégias utilizadas para aprender e a disposição de quem o elabora para continuar aprendendo.(...)Um portfólio não significa apenas selecionar, ordenar evidências de aprendizagem e organizá-las num formato para serem apresentadas.(...) O que caracteriza definitivamente o portfólio como modalidade de avaliação não é tanto o seu formato físico, mas sim a concepção de ensino e aprendizagem que veicula.É uma forma de avaliação dinâmica realizada pelo próprio estudante e que reflete seu desenvolvimento e suas mudanças através do tempo.Nele incluí-se a avaliação do processo, a maneira de encarar e de interpretar as experiências e os processos de aprendizagem.Este deve ter coerência com o fio condutor escolhido, por isso é importante destacar a explicitação das intenções de aprendizagem, o critério de seleção de evidências e a reflexão sobre o processo vivido.
Portfólio, dossiê, relatórios de avaliação, todas essas nomenclaturas se referem no sentido básico à organização de uma coletânea de registros sobre a aprendizagem do aluno que ajuda o professor, os próprios alunos e as famílias a ter uma visão evolutiva do processo.Este diz respeito ao registro da trajetória de aprendizagem do aluno que se dá através da seleção, ordenação de documentos por ele produzidos, ou documentos externos, como fotos, reportagens, textos, que de algum modo contribuíram com o percurso de sua aprendizagem, colocando em evidência seu patamar de desempenho, as hipóteses que levantou e se os fins que alcançou foram realmente os propostos no início do trabalho.
O termo portfólio nos remete mais uma vez a Gardner(1995) que o define como local para armazenar todos os passos percorridos pelos estudantes ao longo de sua particular trajetória de aprendizagem.O autor explica que a palavra não é suficiente para expressar a extensão do conceito, acreditando que “processo-fólio” seria mais adequado.Ele considera a palavra portfólio insuficiente para dar sentido à amplitude do seu significado, pois nele o aluno vai, diariamente, acumulando dados, tanto no que se refere a textos, documentos, registros de atividades e ações, como também impressões, dúvidas, certezas, relações feitas com outras situações vividas ou imaginadas, na escola ou fora dela.
É importante no processo do portfólio que, a cada dia, seja feito pelo menos um registro, pois isso possibilita, ao professor e aluno, um retrato dos passos percorridos na construção das aprendizagens.Essa característica de registro diário tem o sentido de mostrar a importância de cada aula, de cada momento, como uma situação de aprendizagem.O aluno é então avaliado por todos esses momentos.
O portfólio tem função de acompanhar e avaliar o processo de ensino e aprendizagem, registrando a organização dos saberes e demonstrando todo um processo de construção de pensamento.
Em educação, o portfólio apresenta várias possibilidades.Uma delas é sua construção pelo aluno, nesse caso, o portfólio é uma coleção de suas produções, as quais apresentam as evidências de sua aprendizagem, organizado por ele próprio afim de que ele e o professor em conjunto, possam acompanhar seu progresso.É um procedimento de avaliação que permite aos alunos participar da formulação dos objetivos de sua aprendizagem e avaliar seu progresso.Eles são, portanto, participantes ativos da avaliação, selecionando as melhores amostras de seu trabalho para incluí-las no portfólio.
Ter um portfólio não é apenas armazenar folhas em um recipiente, mas convidar o aluno a registrar a história de seu percurso de modo a fazer relatos do que aprendeu, incluir na documentação produções que revelem realizações pessoais, reflitam mudanças, identifiquem experiências de aprendizagem que tenham sido significativas e outras que não.
Este instrumento organiza-se em função do registro das atividades, projetos ou propostas mais significativas à aprendizagem, para cada aluno,nesse sentido trata-se explicitamente de um instrumento de individualização do aluno no projeto didático, bem como de sua avaliação em processo.Ele traça de modo mais marcante o percurso de cada aluno no caminhar do saber, com suas diferenças, suas preferências, sua história pessoal de aprendizagem.
A elaboração do portfólio é de responsabilidade do aluno, mas tem a supervisão direta do professor que auxilia na organização e na seleção das informações a serem utilizadas, estimula o uso, prevê os momentos de trabalho com a documentação, usa o portfólio no processo de avaliação e auto-avaliação.Cada aluno pode organizar para seu portfólio um índice, uma apresentação e mesmo uma classificação que demonstre como as idéias estão sendo organizadas, trabalhadas, por exemplo:Apresentação, Trabalhos preferidos, Soluções originais, Dúvidas resolvidas,Uma boa conquista, Um estudo que fiz sozinho, Projetos.
Na primeira etapa de organização o professor pode auxiliar a classe para que organizem seus registros, sua história.Essa mediação do professor na organização e o uso do portfólio prevê o estabelecimento de critérios para a seleção de informações, bem como a sua discussão com os alunos.
A organização de um portfólio torna-se significativa pelas intenções de quem o organiza.Não há sentido em coletar trabalhos do alunos para mostrá-los para os pais somente como instrumento burocrático.Ele precisa constituir-se em um conjunto de dados que expresse avanços, mudanças conceituais, novos jeitos de pensar e de fazer, alusivos à progressão do estudante.
No portfólio valorizam-se todas as etapas, mesmo as inacabadas, dos processos de busca e investigação que os alunos realizam do mesmo modo que as impressões, opiniões e sentimentos despertados pelo assunto em pauta ou até pela forma de trabalho, questionamento de encaminhamento de dados, e assim por diante.
Ele tem que ter caráter reflexivo e não descritivo, deve ser apontado aos alunos esse propósito do portfólio, Segundo Collins (1991), existem quatro evidências que constituem o conteúdo do portfólio:os artefatos (documentos produzidos em aula), as reproduções (exemplos de trabalhos que se recolheu em sala de aula, mas também fora dela), os atestados(documentos preparados sobre o trabalho das e dos estudantes por outras pessoas relacionadas com o processo) e as produções(documentos especificamente preparados para dar forma e conteúdo ao portfólio)
Para a construção do portfólio na Educação Infantil, por exemplo, os alunos não possuem maturidade cognitiva para anotar as diferentes atividades, utilizando o recurso do caderno de registros.No entanto, é preciso que seja mantida alguma forma de documentação que permita, não apenas que o aluno valorize sua produção, mas que também auxilie o professor a organizar um material que propicie a si próprio e aos pais uma noção de evolução do conhecimento da criança ao longo do período do trabalho que foi realizado.Esses regitros podem ser textos, desenhos e atividades diversas de recorte, colagens e projetos que a criança vai fazendo durante o ano escolar.Os desenhos que são feitos no final de algumas atividades, nas quais a professora pede às crianças que expressem pictoricamente o que vivenciaram durante sua apresentação, sem ter nenhuma intervenção, considerando apenas o olhar do aluno e suas concepções sobre a vivência que teve esta encontra uma forma própria de desenhar e não traz respostas e modelos prontos nesta aprendizagem.No início o registro pode ser simples garatujas, podem trazer elementos da imaginação de seu autor, mas, através de processos de leitura que o professor estabelece para os registros, as crianças passam a externar elementos de simbolização e sinais gráficos, usar cores e trazer, cada vez mais, elementos que o professor objetivava desenvolver na atividade.Interagindo com as outras crianças e com a professora, os alunos vão aprimorando suas representações e desenvolvendo novas formas de se comunicar.Ao mesmo tempo a linguagem materna, oral e escrita, a linguagem pictórica e, a linguagem matemática vão se desenvolvendo naturalmente.
Para o desenvolvimento do portfólio é preciso que este envolva algumas características essenciais como: incluir múltiplos recursos porque permitem avaliar uma variedade de evidências; ser autênticos porque as produções do alunos se articulam ao trabalho em desenvolvimento, ser uma forma dinâmica de avaliação pelo fato de constatar o desenvolvimento e as mudanças dos alunos ao longo do tempo, ter seus propósitos explicitados para que os alunos conheçam o que se espera dele, integrar as atividades escolares com as experiências de vida, ser único pois este pertence ao aluno que escolhe as produções que incluirá e insere suas reflexões sobre o desenvolvimento de sua aprendizagem, tem que ser multiproposital já que pode ser útil como procedimento de avaliação e criam um elo instucional importante entre séries, anos, disciplinas e temas quando são partilhados com outro professores.
Através do portfólio é possível identificar questões relacionadas com a história de um processo, sendo uma vívida ilustração da extensão que um projeto de formação pode ter, uma mostra do caminho que trilhamos para alcançar nossos objetivos:rascunhos provisórios, planos iniciais, pontos críticos, conquistas relevantes, o que se gosta o que se desgosta, avaliações e sínteses provisórias, planos de finalização ou continuidade, etc.
O portfólio tem como finalidades propiciar aos envolvidos no processo avaliativo uma visão ampliada sobre o projeto, propiciar meios para os alunos e professores dialogarem sobre aprendizagem e o desenvolvimento de cada um, encorajar os alunos a comunicarem sua compreensão, suas dúvidas sobre o conhecimento, sobre algum assunto em especial, com um nível cada vez mais elevado de proficiência.Este seria o representante mais nítido que o aluno teria da perdurabilidade de suas impressões, percepções e reflexões, permitindo que esses elementos fossem conservados no tempo e no espaço, o que nem sempre é possível através da linguagem oral ou mesmo de registros esporádicos.
A utilização dessa forma de documentação da aprendizagem segundo Smolle(2000) envolve interpenetrações das dimensões pedagógica e psicológica.Pedagógica porque o portfólio surge como um instrumento fundamental do ensino e da aprendizagem, valorizando a reflexão e a ação do aluno.Psicológica porque mostra um pouco da personalidade de cada um, sua forma de ser e de pensar.Através dessa documentação, o professor pode compreender alguns anceios, dificuldades, e as conquistas de cada um.
O portfólio constitui também um importante elemento de comunicação entre aluno e professor, entre professor e pais, entre alunos e pais funcionando ao mesmo tempo como regulação do processo educativo e como instrumento de avaliação eficiente, uma vez que propicia uma análise contínua dos progressos individuais dos alunos.Ele também permite ao sujeito desenvolver sua competência comunicativa e avaliar o processo de produção do conhecimento, uma vez que os registros são produzidos no seio da interação professor-aluno-conhecimento. O envolvimento no processo de comunicação permite que os alunos partilhem informações com os outros acerca de seu progresso, para se chegar a isso é preciso proporcionar encontros entre pais e alunos em que eles descrevam o que vêm fazendo em termos do que já alcançaram e do que ainda falta alcançar, isso lhes dá a chance de assumir responsabilidade pelo seu sucesso e de se motivarem para o desenvolvimento de um trabalho mais produtivo.O portfólio passa a ser um instrumento de comunicação entre aluno e professor,pois, é a partir da análise conjunta do documento, que é possível percorrer as histórias das aprendizagens, num fundamental equilíbrio nas relações de poder entre os indivíduos desse processo.Tanto professor quanto aluno terão como bases argumentativas a resultante construída processualmente.Ambas as partes terão de dar conta do que fizeram, trocar sugestões para próximas atividades, considerar a maneira de ver, sentir,reagir especial de cada pessoa, e aprender a lidar com as diferenças.Enfim viver a experiência de conviver, que é o que se deve querer de uma escola.
Desenvolver o portfólio nos moldes apontados envolve um constante refletir sobre o progresso do aluno e, por sua vez, o aluno com oportunidade de participar da organização de seu material pensar sobre o que nele está contido, ou seja, se auto-avalia.Na organização de portfólios os alunos têm oportunidade freqüentes para folhear seus trabalhos, podendo escrever pequenos textos, organizando o que já aprenderam ao final de um período.Isto dá a eles a possibilidade de ter consciência sobre os avanços conseguidos, as atividades realizadas e sobre o projeto em si. Entende-se por auto-avaliação o processo pelo qual o próprio aluno analisa continuamente as atividades desenvolvidas e em desenvolvimento e registra suas percepções e seus sentimentos, essa análise leva em conta o que ele já aprendeu, o que ainda não aprendeu, os aspectos facilitadores e os dificultadores do seu trabalho, tomando como referência os objetivos da aprendizagem e os critérios da avaliação.Novos objetivos podem emergir desta análise.Um elemento importante nesse processo é a indentificação de futuras ações, para que haja avanço na aprendizagem.Com crianças pequenas introduzir a prática da auto avaliação é mais simples, pois elas são espontâneas e ainda não adaptadas à escola do silêncio e do medo, em conversas informais, em resposta a perguntas simples durante a realização de atividades, elas apontam seus sentimentos e percepções, que serão adotados pelo professor.Alunos da Educação Infantil gostam de conversar e contar para o professor o que sentem, essas são ótimas oportunidades para coletar suas percepções.Os comentários das crianças são inseridos em seu portfólio pelo professor, no caso delas ainda não escreverem. Acredita-se que o portfólio seja uma forma de auto-avaliação do aluno, que assumindo sua elaboração como parte integrante da sua história de aprendizagem, pode ser estimulado a pensar mais sobre ela, dando início a mudanças e percebendo crescimentos. Os princípios do portfólio da construção, da reflexão e da criatividade abrem caminho para a auto-avaliação.A capacidade de auto-avaliação está presente em várias situações da nossa vida, devendo ser desenvolvida desde cedo.O trabalho com o portfólio é uma excelente oportunidade para isso, porque os alunos têm em mãos todas as suas produções, podendo compará-las com os critérios formulados por eles e pelo professor.Por meio dele os alunos podem conhecer suas potencialidades e suas fragilidades.Cabe ao professor ficar sempre atento e disponível para ajudá-los e observá-lo em seu crescimento intelectual e registrar suas análises.
O envolvimento dos alunos no registro dos resultados lhes dá a oportunidade de acompanhar seu desempenho por meio da auto- crescimento.Isso pode ser um poderoso meio de construir autoconfiança, pois a avaliação formativa quer a aprendizagem do aluno em todos os sentidos, inclusive no da formação do cidadão para ter inserção social crítica.Uma das maneiras de conseguir isso é a construção de portfólios que contenham evidências do seu processo e reflexões sobre o andamento do seu trabalho.O que se pretende diz Stiggins(1999), é usar o envolvimento do aluno na avaliação como um espelho em que ele veja seu crescimento.
O propósito do portfólio que deve conter a história do ensino mediado pela aprendizagem, a história, portanto de um projeto compartilhado entre professores e alunos.
Olhando para o portfólio de seus alunos, o professor pode refletir sobre que tarefas fizeram mais sentido e deram resultados mais efetivos e quais ficaram confusas e necessitam de maiores, ou novas, explorações.Ao considerar a necessidade de um tempo em aula para uma roda de portfólio,na qual todos os alunos apresentam seu portfólio uns aos outros, o professor notará como elas ficarão engajadas e como acontecerão reflexões sobre várias atividades.Nessas situações, o professor aproveitará para observar as conexões que os alunos fazem e as interpretações que acontecem.Por isso o portfólio passa a ser um excelente instrumento no processo de avaliação.Ele tem se revelado um importante instrumento para desenvolver a capacidade de reflexão, tão pouco enfatizada nas práticas tradicionais.
O professor pode encontar no portfólio elementos para planejar suas ações e intervenções na prática cotidiana, dinamizar a reflexão sobre seus próprios posicionamentos metodológicos, na elaboração de questões e na análise de reposta dos alunos.Por isso, não precisa esperar até o final do mês ou do bimestre para se inteirar do que anda acontecendo na ação de seus alunos.
Permitir que cada aluno se defronte com sua produção e refleta sobre o que realizou e como conseguiu enfrentar os desafios propostos é reconstruir saberes, é estabelecer interlocuções, é esclarecer perspectiva, é construir autonomia.Desta forma é possível realizar uma avaliação capaz de ser introjetada nas próximas ações produtivas do sujeito.
Há alguns objetivos que envolvem o processo do portfólio como: organizar o saber do aluno, desenvolver competência linguística, aprimorar habilidade de observação, propiciar ao educando o desenvolvimento de competências para avaliação de seu próprio trabalho, possibilitar ao aluno e ao professor uma prática reflexiva, contribuir para uma avaliação eficaz e democrática, facilitar uma elaboração ordenada de conceitos.
Dentre outras utilidades o uso do portfólio pode possibilitar ao aluno o fornecimento de retro-informações(feedback) para os estudantes, além de demostrar claramente ao educador, habilidades específicas dos alunos com eficácia e valores.
Uma das vantagens da realização do portfólio é a de perceber o desenvolvimento do programa de ensino e a participação mais ativa de estudantes, o que permite que sintam a aprendizagem como algo próprio e não alienada de seus processos pessoais e coletivos.
Gardner(1994) diz que os estudantes aprendem melhor, e de uma forma mais integral, a partir de seu compromisso com as atividades que acontecem durante um período de tempo significativo e que se constroem sobre conexões naturais com os conhecimentos escolares, o portfólio oferece a estudantes e docentes a oportunidade de refletirem sobre os processos vividos, além de criar meios criativos de aprendizagem e de ser um recurso para relacionar teoria e prática.
Escolas que adotam o portfólio podem criar momentos para os alunos apresentarem seus trabalhos mais produtivos, podem criar momentos para os alunos apresentarem seus trabalhos, com isso os alunos aprendem a desenvolver argumentação oral.
O uso do portfólio beneficia qualquer tipo de aluno: o desinibido, o tímido, o mais e menos esforçado, o que gosta de trabalhar em grupo e o que não gosta, o mais e o menos motivado ou interessado pelo trabalho escolar, o que gosta de escrever e até o que não gosta, porque ele pode passar a gostar, assim como pode apresentar suas produções utilizando outras linguagens, o portfólio permite ao aluno acompanhar o desenvolvimento de seu trabalho, de modo a conhecer suas potencialidades e os aspectos que precisam ser melhorados.O esforço despendido pelo aluno é valorizado e reconhecido.Notas, conceitos e menções, se existirem, podem ocupar lugar secundário e com o tempo, podem ser até abolidos.
O uso do portfólio estimula os alunos menos capazes perceberem suas fragilidades e se encorajarem para realizar atividades que desenvolvam seu trabalho.
O portfólio pode mostrar a personalidade de cada um, os alunos declaram a sua identidade, isto é, mostrando-se não apenas como alunos, mas como sujeitos dispostos a aprender.Sua história de vida e suas experiência são conhecidas e valorizadas, o aluno se desprende de motivos para se esconder, retrair, pois o trabalho de todos é encorajado e orientado para o alcance dos objetivos propostos, que são de conhecimentos de todos.
As atividades escolares levam em conta as experiências vividas pelo aluno fora da escola, dando sentido à sua aprendizagem, a escola passa a estar conectada às práticas sociais.
O portfólio motiva o aluno a buscar formas difenrentes de aprender, suas produções revelam suas capacidades e pontecialidades, as quais poderão ser aprecadas por várias outras pessoas.Amplia-se assim ,a concepção de avaliação , que deixa de ter função de “verificar” a aprendizagem para incorporar a de possibilitar ao aluno, e até mesmo incentivá-lo, a mostrar seu progresso e prepará-lo para comunicar o que aprendeu e a defender suas posições.
O portfólio é um meio valioso que apresenta a potencialidade de tornar explícita a articulação entre currículo, avaliação e trabalho pedagógico, pois contribui para o estabelecimento da estrutura e dos processos de documentação e reflexão sobre o ensino e a aprendizagem a ele relacionada, tornando-os públicos.
Os professores que desejam formar alunos reflexivos e professores imbuídos do espírito de desenvolvimento profissional, achados de pesquisas concluem que o uso do portfólio promove o desenvolvimento de habilidades importantes, como a reflexão, a auto-avaliação e a análise crítica. Portfólios como procedimento de avalição têm sido cada vez mais usados por causa do seu potencial para associar currículo e práticas pedagógicas com vistas ao desenvolvimento cognitivo.O desenvolvimento metacognitivo traz contribuições para a formulação de maneiras alternativas de avaliação, como o uso do portfólio, Hacker(1998) e Klenowski :p.102 explicam que a metacognição envolve o pensar sobre o próprio pensar ou o conhecer a aprendizagem de alguém e a si próprio como aprendiz, a auto-apreciação e a auto-administração da cognição são consideradas suas principais características .É importante que as pessoas se compreendam como agentes do seu próprio pensar.Por isso que é importante incorporar a prática do portfólio desde a Educação Infantil, pois estas crianças serão estimuladas, desde cedo, a refletir sobre sua aprendizagem, valorizando-a.A teoria da metacognição focaliza os aspectos do pensar que contribuem para a formação da consciência e da compreensão pelo aluno de ele ser o próprio regulador e agente do seu próprio pensar.É por meio da reflexão e da auto-avaliação pricípios que integrão o principais, que se fortalece o pensar dos alunos sobre o seu próprio pensar.
É importante que o aluno leve em conta suas emoções durante a aprendizagem e desenvolva a habilidade de incluí-las, administrá-las e tolerá-las.
Quando os alunos estão conscientes do estado do seu conhecimento, eles podem efetivamente direcionar a aprendizagem rumo aos objetivos estabelecidos.Quando os alunos já são capazes de adequadamente monitorar seu conhecimento e os processos do pensamento e já podem ser orientados para o monitoramento de tarefas complexas, seus professores podem ajudá-los no processo de auto-regulação de sua própria aprendizagem.
É esperado que com o uso do portfólio os educadores pensem mais em modos de conduzir o desenvolvimento infantil e que estes avaliem e relatem o processo.
Os portfólios podem proporcionar uma reflexão e uma comunicação contínua, mais rica e mais profunda dentro de sua comunidade. A reflexão e a comunicação são as atividades cruciais em uma comunidade de aprendizes, tanto em uma pré-escola, creche ou escola como do lado de fora, nos lares
Um dos caminhos para a construção de uma sociedade mais justa é a adoção de procedimentos avaliativos comprometidos com a aprendizagem de alunos e professores e com o desenvolvimento da escola.

Referências Bibliográficas:

HOFFMANN,Jussara Maria Lerch.Pontos e Contrapontos:do pensar ao agir em avaliação - Porto Alegre: Mediação,1998.

LUCKESI,Cipriano Carlos.Avaliação da aprendizagem escolar:estudos e proposições-São Paulo:Cortez,2003.

PERNIGOTTI,Joyce Munarski ; SAENGER ,Liane;GOULART ,Ligia Beatris e ÁVILA,Vera Maria Zambrano. O Portfólio pode muito mais que uma prova.Publicação:Revista Pátio ,Ano 3 –número12 Feveriro/Abril 2000

SANTARÉM, Maria Solange Portela e CRUZ,Maricélia Silva Avaliação formativa na Educação Infantil.Publicação no site www.pedagobrasil.com.br ,data de acesso maio/2005 às 20:35.

SHORES, Elizabeth e GRACE,Cathy .Manual de Portfólio:um guia passo a passo para o professor-Porto Alegre:Artes Médicas Sul,2000.

SMOLLE,Kátia Cristina Stocco.A matemática na educação infantil:a teoria das inteligências múltiplas na prática escolar-Porto Alegre:Artes Médicas Sul,2000.

Tese de doutorado:Inteligência e Avaliação da idéia de medida à idéia de projeto-São Paulo,2001

STRÖHER,Marga J. -Portfólio como recurso de avaliação:o portfólio como recurso ou modalidade de avaliação vinculada à reconstrução do conhecimento.Publicação janeiro 2004.

VILLAS BOAS, Benigna Maria de Freitas .Portfólio,avaliação e o trabalho pedagógico-Campinas,SP:Papirus,2004.(Coleção Magistério:Formação e trabalho pedagógico).

VITÓRIA, Solange .Portfólio:Instrumento de avaliação.Publicação:Revista @prender Virtual de novembro/dezembro de 2002.

 
Voltar