Voltar    
  CACHINHOS DOURADOS E OS TRÊS URSOS: UM CLÁSSICO E A FORMAÇÃO DE LEITORES.

Marciléia Egidio Sampaio- Faculdade de Ciências e Tecnologia /FCT Unesp – Presidente Prudente
Renata Junqueira de Souza - Faculdade de Ciências e Tecnologia /FCT Unesp – Presidente Prudente

Partindo da proposta de trabalho da leitura dividida em três momentos: antes da leitura, durante a leitura e depois da leitura, procuramos desenvolver uma atividade alternativa, para que cada criança em contato com a literatura, seja ela qual for, possa desenvolver uma visão global da mesma, e assim estabelecer um diálogo crítico com a sua realidade.
O primeiro passo deste projeto é promover uma resposta pessoal da criança em relação ao texto, antes mesmo da própria história ser contada, deste modo mostrar ao aluno que suas idéias, pensamentos e experiências são fundamentais para um entendimento do texto em questão.
Logo depois, se a criança já possui uma consciência da sua participação efetiva na dinâmica da leitura, podemos então começar a refletir o que vêem a ser as várias possibilidades da leitura, como a leitura pressuposta, instrumental e monológica.
Em um terceiro momento valendo-se de técnicas como leitura oral e circulo literário, procuramos incentivar aos leitores o prazer pela leitura, que não deve em hipótese nenhuma ser imposta, e que muito pelo contrario precisa fazer referência a um pensar critico, a emoção e inclusive, ao mundo maravilhoso do “era uma vez”, que só traduz o imaginário de qualquer criança.
Baseados, portanto, nas direções apontadas até aqui, percebemos o quanto é relevantes trabalhar com atividades que de fato possam estimular o imaginário e a criatividade da criança.
Algumas possíveis atividades são :

? Teatro

Trata-se de uma aprofundamento da história a partir da dramatização que surgirá, se esta for bem estimulada, naturalmente da própria participação pessoal de cada criança dentro grupo de leitura . Esta dramatização nos dará margens para refletir a construção de personagens, (maniqueismo), a contextualização da história, as possibilidades estéticas e até algumas possíveis adaptações em nível de roteiro e dialogo.
No teatro podemos também trabalhar o “era uma vez”, o lúdico que alimenta a fantasia infantil, provoando-a de bruxas, fadas, monstros, animais, objetivos personificados e situações inusitadas
criadas pela imaginação do mais diversos autores

? Redação

Trata -se da utilização de alguns textos como referência ou modelo de escrita e linguagem, que visam estimular além de uma boa escrita dentro das regras habituais para construção de uma boa redação, uma capacidade de criar originalmente através de uma consciência critica qualquer idéia que possa vir a ser defendida.

? Acróstico

Trata-se de uma palavra geradora, como, por exemplo, o próprio nome da criança, que servirá como inspiração para o manejo de outros palavras partindo das letras que compõem a primeira.
Esta atividade permite visa estimular a criança a criatividade a percepção e a busca de palavras que combinem com a palavra geradora, permitindo a criança criar qualidades ou até mesmo montar um verso, poesia, prosa com a palavra geradora.

O principal intuito é promover experiências que sejam significativas no cotidiano da criança. Todo este processo, que é dividido em três momentos específicos, antes da leitura, durante a leitura e após a leitura, tem também como objetivo é mostrar a criança que toda boa construção sendo de qualquer natureza, só pode acontecer dentro de uma seqüência gradativa, com o seu tempo especifico, e suas fases especificas .

Atividades antes da leitura:

As atividades presentes antes das leituras visam enfatizar as experiências pessoais à partir do texto em questão, tentando assim, demonstrar à criança o quanto sua contribuição, suas idéias, suas associações são importantes dentro do jogo criativo. O ideal é que o professor possa transmitir confiança suficiente para estimular uma plena libertação de tudo que é mais essencial no universo da criança. E isso se dá, quando o professor antecede o texto com indagações referentes a ele, criando expectativas e perspectivas sobre o que está por vir.
As atividades utilizadas são:

Guia de antecipação;
Questionários
Caixa literária;
Mapa semântico;
Mapa dos contrastes;
Mapa de antecipação – inferência- confirmação

O fundamental é que as crianças percebam que o propósito do nosso projeto é a leitura baseado na literatura, despertando assim a curiosidade, interesse e a motivação dos alunos para a leitura.

Atividades durante a leitura :

Na maioria das vezes o texto literário, que é usado em sala de aula, pede apenas uma simples leitura aos alunos, não trazendo nenhuma proposta de atividade ou de registro significativo da leitura.
De acordo com Silva, 1997, “ O material didático está muito presente na sala de aula, ou mesmo fora dela, como material dos alunos e dos professores, que o seguem passo-a-passo ou se utilizam dele como fonte principal ...”.
É justamente esse equivoco, que limita as fontes de apoio do professor, que não pode acontecer.
O texto didático, como bem se sabe e já foi mencionado, não dá conta sozinho de representar a pluralidade cultural presente nas salas de aula. É necessário fazer uso de outros textos como: poesias, prosas, versos, clássicos “contos de fadas” e literatura infanto-juvenil.
Dentre os vários objetivos presentes nessa atividade, encontra-se a importância da criança entender o texto da forma mais significativa possível, e que, por conta disso possa fazer uma avaliação interpretativa do que realmente significa cada personagem, cada dialogo, cada situação e cada problema presente na história trabalhada.
As atividades durante a leitura são:

Circulo literário;
Mapas literários;
Mapas dos personagens;
Teia-relações entre os personagens;
Quadro dos sentimentos;
Quadro de contrários;

Atividades após a leitura:

Cada passo que será dado dentro deste momento do processo, procura estimular no aluno a sua capacidade de sintetizar e analisar as idéias referentes ao texto, algumas inclusive apresentam-se como veículo entre o conhecimento e as novas informações o que propiciam uma extensão dos seus conteúdos assimilados.
Passado este momento, a criança começa a fazer conexões entre o que assimilou e sua realidade.
Por fim, teremos como objetivo, facilitar a organização das idéias e interpretações de determinado tema discutido, para que a criança tenha clareza de suas associações futuras.

As atividades após a leitura são:

Boletim literário;
Organização de enredo;
Diagrama do livro;
Citações para troca;

Nosso trabalho evidenciou um melhor aproveitamento das crianças com relação às leituras dos textos.
Percebemos que ao longo do projeto as crianças se envolveram com a leitura, uma vez que se envolveram com a leitura,uma vez que considerou-se o contexto vivenciado pelas mesmas.
Com este trabalho procuramos apresentar aos professores e a escola uma forma de leitura prazerosas que envolvessem todas as manifestações culturais e sócias infantis.

Referência Bibliográfica

SOUZA, Renata Junqueira de. Narrativas infantis: a literatura e a televisão de que as crianças gostam. In: Anais do 2º Seminário de literatura infanto-juvenil, livro didático e participação da comunidade na formação de leitores. São Paulo, 1995 (p. 304 -310).

VILLARDI, Raquel. Ensinando a gostar de Ler e formando leitores para a vida toda. Rio de Janeiro, Dunya, 1997.

SILVA, Ac. A leitura do texto didático e didatizado. IN. Chiappini,L . Apreender e ensinar textos didáticos e paraditaticos. Sp. Ed. Cortez, 1997

ZILBERMAN, Regina. A literatura infantil na escola. 5ª ed. São Paulo, Global, 1995.

 
Voltar