Voltar    
  MEMÓRIAS DE PROFESSORES NA PESQUISA EM EDUCAÇÃO: EXPERIÊNCIAS QUE RE-EXISTEM

Adriana Varani (PUCC – GEPEC/FE/UNICAMP) - adriana_varani@yahoo.com.br

• significados e aprendizados do processo de recuperação da memória dos professores na pesquisa educacional;
• como professor foi considerado nas pesquisas educacionais?;

inquietação sobre a organização docente coletiva no interior da escola - HISTÓRIA DE VIDA TEMÁTICA (Meihy)

LIÇÃO –
Recuperação da memória supera um olhar que desconsidera a produção da escola e mostra as formas em que os professores re-existem.

MEMÓRIAS DO COTIDIANO

• Recuperação dos resíduos do cotidiano;
• Reorganizam-se pelo discurso espaço/temporalmente construídos (Geraldi)
• Modos de fazer escolares;
• Fio narrativo com episódios flutuantes que nos levam a tantos outros espaços/tempos;

LIÇÃO –
Forma de compreender o cotidiano escolar

MOVIMENTO DA RE-EXISTÊNCIA

• Passam pelo crivo da própria memória e da seleção do desejado;
• Carregam afetividade, emoção;
• Palavra da memória é carregada de signos (Bakhtin);
• Interação professor e o outro (professor e pesquisador).

LIÇÃO –
Permite a capturação daquilo que os processo de apagamento das políticas púbicas, do oficial tentaram ocultar;
Ressignificam suas experiências para si

Procuro-me no passado e "outrem me vejo"; não encontro o que fui, encontro alguém que a que sou vai reconstruindo, com a marca do presente. Na lembrança, o passado se torna presente e se transfigura, contaminado pelo aqui e o agora. Esforço-me por recuperá-lo tal como realmente e objetivamente foi, deve ter sido (lembro Proust e a sua Madeleine, que ressuscitou tão plenamente o passado), mas não posso separar o passado do presente e o que encontro é sempre o meu pensamento atual sobre o passado, é o presente projetado sobre o passado (e então lembro Dom Casmurro e a casa da rua de Matacavalos: "Pois, senhor não consegui recompor o que foi nem o que fui. Em tudo, se o rosto é igual, a fisionomia é diferente." - Machado de Assis, 1971:810). (SOARES, 2001, p.37-8)

 
Voltar