Lançamento

voltar menu revista 08

 

 São seis estudos bem tecidos, todos eles com a preocupação de somar mais conhecimentos sobre vários aspectos dos processos de leitura e do desenvolvimento das bibliotecas.

LEITURA, LEITORES E BIBLIOTECAS NO INTERIOR DO BRASIL
 Ezequiel Theodoro da Silva

No mais das vezes, as investigações sobre a leitura, os leitores e as bibliotecas se restringem aos grandes centros, sem deixar entrever o movimento das práticas em cidades menores, do interior do Brasil.

Esta coletânea é, no meu ponto de vista, um primeiro passo para ganharmos compreensão dos caminhos e descaminhos da leitura em regiões interioranas do país. São seis estudos bem tecidos, todos eles com a preocupação de somar mais conhecimentos sobre vários aspectos dos processos de leitura e do desenvolvimento das bibliotecas.

Em "Leitura: essa libertária forma de colheita", Luzia da Maria articula uma excelente síntese dos principais autores brasileiros que vêm tematizando criticamente o fenômeno da leitura e produzindo obras culminantes na área. Destaca, ainda, com muito vigor, a importância da leitura para a existência digna dos homens.

Lucinea Aparecida de Rezende, em "Formação de Leitores: um caminho possível" reúne e explicita os ingredientes que devem ser pensados no planejamento de programas de leitura. O conceito de "ambiência de leitura", conforme apresentado pela autora, é oportuno e merece ser conhecido por todos os professores - isto porque essa ambiência se coloca como uma condição sine qua non para a promoção da leitura nos espaços escolares.

No terceiro capítulo, intitulado "A leitura como trabalho intelectual e caminho de valorização da escola e da família, em qualquer nível de estudos", Fahena Porto Horbatiuk fornece pressupostos básicos para o delineamento de uma didática conseqüente de leitura. Relembra a autora: "Existem as teorias que podem orientar os mediadores (pais e professores), e a partir delas, estratégias para atuação na direção de leituras, cada vez mais bem aproveitadas e gratificantes e produção de textos coerentes, coesos, com boa sequenciação, suficiência de dados, boa argumentação, clareza e objetividade, além de senso crítico e estilo próprio". (p. 55)

Os três estudos finais tratam mais especificamente de questões relacionadas ao movimento da leitura em cidades interioranas: Porto União (SC), União da Vitória (PR), Mallet (PR) e Santa Bárbara d'Oeste (SP). Os três primeiros se reportam muito mais à memória dos autores na sua relação com relação a eventos para a difusão do livro ou então ao surgimento das bibliotecas municipais na sua relação com imigrantes e outros agentes culturais.

Das investigações relacionadas ao nascimento de uma biblioteca, sem dúvida que aquele produzido por Silvia Aparecida José e Silva e Sidney Barbosa e denominado "A biblioteca de uma cidade do interior paulista e sua representação na imprensa escrita local: o caso de Santa Bárbara D'Oeste" é o revelador de maior fôlego em termos de embasamento e compilação de material histórico. A leitura desse relatório permite ver as marchas e contra-marchas da evolução de um biblioteca pública no Brasil: as idas e vindas, as conquistas e os fracassos e outras contradições que fazem parte do processo de implantação de um organismo cultural numa cidade brasileira de porte médio.

Esta coletânea me agradou muito em termos de leitura, pois, tendo nascido e me criado numa cidade do interior brasileiro (Santa Cruz do Rio Pardo, SP), muitas das revelações feitas nos diferentes artigos trouxeram-me de volta as mazelas que ocorriam nessa cidade e as fortes barreiras políticas que impedem o avanço cultural no interior brasileiro. Recomendo a leitura sem restrições!

 

KARWOSKI, Acir Mário, GAYDECZKA, Beatriz (org). Leitura, Leitores e Bibliotecas no Interior do Brasil. União da Vitória: Kaygangue, 2007.  (108 p.)

 Adquira a obra - clique aqui

Leia outras resenhas

Copyright ©2006, by ALB/Campinas, SP, Brasil

 

Indique a um amigo:
Remetente:
Email Remetente:
Destinatário:
Email Destinatário: